Cerro Porteño x Corinthians em Asuncíon (Libertadores 2010)

Conforme prometido taí a primeira colaboração enviada ao blog pelo meu camarada Gabriel da Camisa 12, contando sobre sua viagem ao Paraguai para acompanhar o Corinthians pela Libertadores 2010. Gostaria de agradecer ao Gabriel pelo relato e já faço o convite para enviar o próximo! Aproveito para lembrar que o blog continua aberto a participação e se mais alguém quiser enviar algum material sobre jogos, viagens ou estádios é só entrar em contato! Cristiano


Dia 17 de março era a data do terceiro jogo do Corinthians pela Copa Libertadores da América 2010, o segundo fora de casa. A partida anterior foi em Bogotá, na Colômbia, distância muito grande para se percorrer, mas mesmo assim a fiel compareceu em bom publico, mais de 500 torcedores deixaram o Brasil rumo a Colômbia para empurrar o time ao empate no fim do jogo.

Já para essa partida a viagem era mais curta, aproximadamente 24hs, e com isso a fiel foi se movimentando e se organizando para chegar em peso a Assunção. Ao todo não se sabe quantos ônibus saíram, mas de São Paulo foram mais de 10, entre as organizadas Gaviões da Fiel, Pavilhão Nove, Estopim da Fiel, Coringão Chopp e saíram também ônibus de Curitiba (Fiel Curitiba), Londrina (Fiel Londrina) e Foz do Iguaçu (Fiel Foz). Nós da Camisa 12 saímos em 1 ônibus só com associados e outros membros que foram de avião e carros (e não se esquecendo do pessoal da Fiel Salvador que chegou também de avião).

Saímos de São Paulo na noite de segunda-feira, dia 15 de março, e a viagem era tranquila até o momento em que um pneu estourou na estrada durante a madrugada e o ônibus quase capota, por pouco o acidente nao foi maior. Resolvido o problema seguimos viagem, samba rolando solto no ônibus, afinando a garganta com músicas de apoio ao Corinthians para passar o tempo e descontrair. Entre paradas para almoço, jantar e para o pessoal tomar banho e descansar as pernas chegamos a Foz do Iguaçu na terça-feira pela noite e nos hospedamos num hostel. Tomamos banho, jantamos e fomos andar pela cidade já que iamos ter que esperar até quarta de manha pra trocar de ônibus e seguir viagem.

Quarta-feira pela manhã, dia do jogo, todos já haviam ido a Ciudad del Leste para suas compras e ainda encontramos um restaurante na cidade que se chamava “O Corinthiano”. Esperamos a hora do almoço para prestigiar o local e nos alimentarmos antes de seguir viagem. Nosso ônibus chegou, seguimos então até Asunción, mas antes passamos pela fronteira sem maiores problemas, trocamos dinheiro e continuamos por mais 6 horas até a cidade do jogo.

Chegando em Asunción o clima parecia bem pesado: ônibus locais cheios de torcedores do Cerro Porteño, carros, motos, xingamentos e provocações até chegarmos ao Defensores del Chaco, Estádio Nacional  com capacidade para 36 mil pessoas onde se realizou a partida já que o estádio do Cerro tem capacidade para 4 mil pessoas apenas e não suportava a partida. Quando chegamos a porta do Defensores del Chaco parecia que estávamos em São Paulo, num jogo em alguma cidade do interior de facil acesso: eram camisetas, bandeiras e muitos torcedores do Corinthians que já estavam lá.

Eram esperados cerca de 1500 corinthianos, mas fomos em 2 mil pessoas! Era uma festa só, descemos do ônibus e outros foram chegando atrás, batucada, gritos de guerra e provocações começaram, mas nada demais aconteceu, apenas torcedores que portavam bebidas alcóolicas foram detidos por motivo de uma lei no Paraguai que não se pode beber na redondeza dos estadios.

Pegamos nossos ingressos, entramos no estádio e fizemos nossa festa como sempre: eram 2 mil vozes gritando CORINTHIANS os 90 minutos sem parar, com bandeiras, faixas, sinalizadores (que entramos de forma ilegal, já que nao se pode entrar de maneira legal), fogos de artifício e bexigas nas cores preto e branco. Dentro do estádio se ouvia a torcida do Cerro Porteño apenas quando o time fazia alguma jogada de perigo, fora isso, éramos nós gritando o tempo todo, incendiando o Defensores del Chaco e fazendo festa. Assim que o Corinthians fez o gol começaram a voar pedras pra cima da gente, claro que atirávamos de volta contra eles e assim foi se desenhando o que viria depois. Quando acabou o jogo choveram pedras, saímos do estádio, entramos nos ônibus sem escolta alguma pra seguir viagem para Foz do Iguaçu e nas ruas e avenidas de Asuncíon o que se via em todo semáforo eram torcedores do Cerro atirando pedras contra nossos ônibus, mas nada de mais grave.

A viagem de volta teve a mesma rotina da ida. Paramos em Foz do Iguaçu para trocar de ônibus novamente e seguir para São Paulo. A viagem foi super tranquila, sem nenhum incidente, mas cansativa e chegamos todos acabados na sexta pela manha, dia 19 de março, com a missão cumprida de estar em mais uma partida fora de São Paulo e fora do Brasil com o intuito de apoiar e incentivar o Corinthians na vitória ou na derrota, nao importando o resultado e já combinando sobre a próxima viagem para Montevidéu no dia 14 de abril.

É isso aí, Camisa 12, com o Corinthians em qualquer ocasião.

Gabriel


Anúncios

2 Respostas para “Cerro Porteño x Corinthians em Asuncíon (Libertadores 2010)

  1. valeu cris, se cuida muleque
    abraços

  2. Obrigado gabriel! abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s